Consciência

Que animais tais,
Que são todos iguais,
Que persistem,
Existem, e nunca desistem.

Porém, mesmo quem,
Os conhece bem,
Fica aquém,
Das suas palavras de bem.

Ninguém, mas mesmo ninguém,
Entende os seus lamentos,
Fortes são esses animais,
São por demais,
Os verdadeiros, os demais
matreiros.

Insistem, os animais,
Mas afinal,
Quantos são no seu total?
São seguramente,
Demais.

Se não falassem,
Eram ideais.

Consciência?
Uso dela?
Nem vê-la !!!

Lino Guerreiro