Audio

destaque/featured

mixEnsemble

 

(…) como filosofia servir a música e os artistas,

dentro de diferentes contextos musicais, para os mais variados fins (…)


Direção Artística/Produção: Lino Guerreiro

Mestrado em Composição, pela Escola Superior de Música de Lisboa, sob orientação do compositor António Pinho Vargas. Mestrado em Ensino da Música na área da Composição. Professor de Teoria e Análise Musical e de Música de Câmara, na Metropolitana (Escola Profissional), professor de Análise e Técnicas de Composição e de Música de Câmara no Conservatório de Música D. Dinis. Colabora com “AVA Musical Editions”, “Rossio Music Publishing” e “SCOMEGNA, Edizioni Musicali s.r.l.“.


Direção Artística/Produção: Valter Rolo

Curso de Piano pela Escola de Jazz do Barreiro, com os professores Bruno Santos, Mário Delgado, João Maurílio e Jorge Moniz. Diretor artístico dos projetos, Bigband de Setúbal, Suave Azul Ensemble, Paulo Ribeiro, Recantos da Alma. Professor de piano na Escola de Jazz do Barreiro. Já colaborou com projetos e artistas como, Paulo de Carvalho, Simone de Oliveira, Carlos Guilherme, Dulce Pontes, Beto, Rita Guerra, Anjos, Lena D’água, Herman José, Fernando Tordo, Carlos do Carmo, Maria Anadon, Laura D’Alma, Anabela, Vânia Fernandes, Inês Duarte, e artistas internacionais como Buena Vista Social Club, Riverdance, Enigma.


Produção/Gravação : João Portela


portfólio :

Duetos Paulo de Carvalho - 2017

pcduetos

Arranjos/Orquestração : Agir, Lino Guerreiro, Valter Rolo

Produção Musical : Agir


Azul Vivaz

pt


A obra “Azul Vivaz” foi escrita por solicitação da PwC Portugal, no âmbito dos Prémios Excellens Mare, com o objetivo de sublinhar o mérito de todas as pessoas e entidades que contribuem para a valorização do mar através da preservação ambiental. Quando penso no mar, penso na minha cidade natal, cidade de Tavira, no Algarve, sendo esta abençoada por este gigante, “o mar, o oceano, o azul, o horizonte”. A minha ligação ao mar é inevitável, é muito grande, pois desde sempre o contemplei e dele usufruí. Descrever tal imensidão não é uma tarefa fácil, e juntando ainda as minhas recordações, a minha vivência, a minha total ligação ao mar, torna tudo muito mais difícil. Assim resolvi concentrar-me numa dualidade óbvia. Dois polos, que traduzem dois “estados de espírito” meus, ou do mar, e viajar nessa dualidade, que mais tarde ou mais cedo, de forma cíclica regressa ao início, apelando à regeneração e à preservação ambiental. Do título da obra “Azul” : a calma, a paz, a serenidade, os temas mais lentos, mais românticos, mais apaixonados, a beleza do mar quando calmo e sereno, o horizonte azul. “Vivaz” : a força, a imponência, o respeito, os temas mais vigorosos, mais rítmicos, os ostinatos incessantes como que uma maré, o gigante vivaz. Foram estes dois polos o principal veículo para a composição desta obra. Polos opostos que inevitavelmente se tocam numa transversalidade mútua, que faz com que os temas sejam tratados em ambos os contextos, que sejam comuns ao dois polos. Foi desta ideia de “oposição falsa”, juntamente com “outras paixões”, que nasceu na minha consciência a obra “Azul Vivaz”.

en


The work “Vibrant Blue” was written at the request of PwC Portugal, as part of the Excellent Mare Awards, with the aim of underlining the merit of all the individuals and entities that have contributed to the increase in the value of the sea through environmental conservation. When I think of the sea, I think of my birthplace, the city of Tavira in the Algarve, blessed with this giant “the sea, the ocean, the blue, the horizon”. My attachment to the sea is unavoidable, it is considerable, it is so strong, in so far that I have always thought about it. To describe its vastness is not easy and, also adding my memories, my existence, my complete attachment to the sea, makes everything much much more difficult. I therefore decided to concentrate on an obvious duality. Two poles that may be interpreted as two of my, or the sea’s, “states of mind” and follow this duality that, sooner or later, returns to the beginning, calling for regeneration and environmental conservation. Within the title of the work, is “Blue”: calm, peace, serenity; themes that are slower paced, more romantic, passionate, about the beauty of the sea when it is calm and serene, the blue horizon. “Vibrant”: the power, the majesty, the respect; themes that are more vigorous, rhythmic, forever repeating melodies just as the tides, the vibrant giant. These two poles were the principal inspirations that underlay the composition of this work. Opposite poles that inevitably touch one another within their wider context that ensure that there is an intersection of themes that are common to the two poles. It was from the idea of a “false opposite”, together with “other passions”, that the idea for the work “Vibrant Blue” was born.


© 2017 Lino Guerreiro, Todos os direitos reservados / All rights reserved / LG-CB-04/17 a execução ao vivo desta publicação é reservada à / the live performance of this publication is reserved to : Banda da Armada Portuguesa encomenda / commission : PwC Portugal.


Azul Vivaz - PwC Portugal

Maud’Adib

(orquestra de sopros/concert band)


também disponível para/also available to:
quarteto de saxofones/saxophone quartet
ensemble de saxofones/saxophone ensemble
quarteto de clarinetes/clarinet quartet
ensemble de clarinetes/clarinet ensemble
ensemble de madeiras/woodwind ensemble

 pt

Esta é uma obra que “fala” de uma personagem de nome Maud’Adib, e da sua aventura em terras de mouros e sarracenos, onde é salvo por um Califa que o resgata às portas da morte, levando-o depois para o seu palácio, onde lhe oferece guarida e tudo o mais preciso, até à sua recuperação.

en

This piece portrays a story about a man known as Maud’Adib, and his adventure in the land of Moors and Saracens, where he is saved by a Caliph that rescues him from death, leading him to his palace, offering him shelter and everything else needed, until is recovery.

MAUD'ADIB - SCOMEGNA - ES B1369.23

scomegna