d’As Fábulas de La Fontaine

 (para quarteto de sopros e orquestra / for woodwind quartet & orchestra)


pt

Sobre as qualidades e defeitos de todos nós, contam-se histórias de moral. Mas porque o Homem é um ser complicado, inventou-se a fábula, para ilustrar comportamentos que se revelam mais simples se forem protagonizados por personagens animais. Sejamos crianças ou crescidos, todos percebemos o falso desdém da raposa por debaixo de umas uvas deliciosas, as quais deseja mas não alcança. Reconhecemos a imprudência da Doninha que se deixa apanhar gorda na despensa da comida, quando sabia poder fugir se fosse capaz de vencer a gula. Quantas vezes lembramos a constância da tartaruga e o precavido zelo da formiga? São pequenas narrativas como estas que devemos a Esopo, ainda dos tempos da Grécia Antiga, e mais tarde a Jean de La Fontaine, que já no século XVII lhes destinou uma popularidade verdadeiramente universal. (…) sendo esta a minha  abordagem musical, que tenciona acima de tudo ser sóbria.

en

About the qualities and defects of all of us, we are told stories of morals. But because man is a complicated being, the fable has been invented to illustrate behaviors that are simpler if they are played by animal characters. Let us be children or grown-up, we all perceive the fool’s false disdain beneath some delicious grapes, which he longs for but does not reach. We recognize the recklessness of the Ferret that lets herself get fat in the food pantry, when she knew how to escape if she could overcome gluttony. How many times do we remember the constancy of the tortoise and the zealous care of the ant? They are small narratives like these that we owe to Aesop, still from the times of Ancient Greece, and later to Jean de La Fontaine, who already in the seventeenth century gave them a truly universal popularity. (…) being this my musical approach, which intends above all to be sober.

Maud’Adib

(orquestra de sopros/concert band)


também disponível para/also available to:
quarteto de saxofones/saxophone quartet
ensemble de saxofones/saxophone ensemble
quarteto de clarinetes/clarinet quartet
ensemble de clarinetes/clarinet ensemble
ensemble de madeiras/woodwind ensemble

pt

Esta é uma obra que “fala” de uma personagem de nome Maud’Adib, e da sua aventura em terras de mouros e sarracenos, onde é salvo por um Califa que o resgata às portas da morte, levando-o depois para o seu palácio, onde lhe oferece guarida e tudo o mais preciso, até à sua recuperação.

en

This piece portrays a story about a man known as Maud’Adib, and his adventure in the land of Moors and Saracens, where he is saved by a Caliph that rescues him from death, leading him to his palace, offering him shelter and everything else needed, until is recovery.

MAUD'ADIB - SCOMEGNA - ES B1369.23

scomegna

miZEDOre – Evolution

 (flauta, clarinete baixo solo, xilofone, percussão, harpa, piano, violino, viola e violoncelo/flute, bass clarinet solo, xylophone, percussion, harp, piano, violin, viola & cello)


 pt

Olhando para a frente e para trás, à procura de um equilíbrio, entre o quê ?! Não posso aceitar a distância. Obra para clarinete baixo solo e grupo de câmara. Dedicada ao clarinetista Luís Gomes, e ao Grupo de Música Contemporânea de Lisboa.

en

Looking back, looking forward, seeking balance, between what ?! I can’t accept distance. Work for bass clarinet solo & chamber ensemble. Dedicated to the clarinetist Luís Gomes, and “Grupo de Música Contemporânea de Lisboa“.